quinta-feira, 27 de outubro de 2011

SUMMERTIME

Capítulo 15: All you need is a perfect date




- Jonas, você me surpreende a cada dia! - Sel arregalou os olhos, depois de ler pela quinta vez o bilhete da aula de literatura, fazendo o garoto rir. 
- Eu sei, eu sou foda... - Joe riu presunçoso, e Nickolas jogou uma almofada em sua direção. - Outch! Que violência, dude! 
- Você tá muito metido! - Jonas riu, tomando sua Coca-Cola. 
Demetria desceu as escadas e se deparou com uma situação que estava se tornando comum naquelas férias: Nickolas, Joe, Selena e Liam esparramados nos sofás, com cara de ressaca, mesmo sendo três da tarde, enquanto gargalhavam por qualquer besteira. Riu sozinha ao perceber o quanto aquela cena a agradava. E quanto ela seria inimaginável há pouco tempo atrás. 
- Bom dia, pessoas mais lindas da minha vida! - Ela sorriu saltitante, e Nickolas riu. 
- Tá comparecendo, hein, Joe? - ele disse, e os dois gargalharam da careta que Liam fez. 
- Cala a boca, Nickolas. - A garota fez careta, segurando o riso. Caminhou até a poltrona em que Jonas estava e sentou em seu colo, dando-lhe um beijo rápido, e depois sorriu. 
- Bom dia, docinho - ele disse com a voz rouca, e a garota sentiu um arrepio na espinha. Já estava ficando acostumada com as reações ridículas e automáticas que tinha perto de Joe. 
- Muito melhor agora. - Demi respondeu, fazendo o garoto sorrir. 
- Como vocês são gays, pelo amor de Deus! - Nickolas exclamou, com a voz afetada. - Joga glitter e ilumina! 
Todos o encararam no mesmo instante, sem conseguir conter sonoras gargalhadas que poderiam ser escutadas da esquina. 
- Dude... Dude! - Liam estava roxo de tanto rir. - Por favor, pare de sair com a Sel, ela está transformando você na Barbie Malibu! 
- Ei! O Jonas sai do armário e a culpa é minha? - Selena gritou, fazendo com que todos rissem ainda mais. 
- EI! EU NÃO SAÍ DO ARMÁRIO COISA NENHUMA! - Nickolas disse muito alto, vendo que os amigos ainda rolavam de rir. - EU SÓ TAVA BRINCANDO E... 
- Mas eu já acordo com uma revelação dessas? - Kevin apareceu apenas de boxers na escada, coçando os olhos e rindo. - Sempre bom saber essa hora da manhã que seu amigo assumiu seu lado purpurinado. - Kevin afinou a voz na última palavra, o que irritou ainda mais Nickolas, e animou mais o resto. 
- Já chega causando, puta merda! - Nickolas fechou a cara como uma criança de cinco anos, e se jogou nas almofadas. 
- Awn gente, parem de zoar o menino! - Sel abaixou perto dele, segurando o riso. - Já chega, não é? 
- É, chega! - ele fez bico. 
- Isso. - Sel sorriu. - Nós temos que respeitar a opção sexual dos coleguinhas, tão me ouvindo? - a garota disparou, fazendo com que a sala despertasse em gargalhadas novamente. 
- Vai brincando, vai, Sel... - Nickolas disse, rindo baixo. - Vamos ver se você aguenta. 
Demetria encarou Kevin com os olhos arregalados, e todos subitamente ficaram quietos. 
- O... O quê? - Selena gaguejou. 
Nickolas aproximou o rosto da garota, que estava tão intrigada que nem conseguiu se mover, como geralmente faria. 
- Você vai ver quem é gay aqui - ele sorriu debochado, puxou o lábio da garota com os dentes e depois riu, subindo as escadas. 
Selena estava congelada. Sentiu seu corpo arrepiar, mas pra variar, não conseguiu esboçar reação alguma. Estava chocada, ainda que bastante animada com aquela reação de Jonas. 
- Vocês viram o que eu vi? - Kevin pareceu sair de um transe. 
- Eu... Eu vi! - Joe respondeu e Liam riu. 
- Nosso garoto... Virou homem. - Ele gargalhou. - Tipo, literalmente. Não no sentido gay da coisa, no sentido... 
- Nós entendemos. - Todos responderam em uníssono. 
- Sel... - Demetria chamou a garota. - Aprenda a respirar de novo e se prepare - ela riu. - Não acho que o Nickolas tá brincando. 
Selena sentiu as bochechas arderem. Não respondeu nada. 
No fim das contas, talvez esperasse que não fosse uma brincadeira.

- Nossa. - Liam arqueou uma sobrancelha, após ouvir detalhadamente a história que a irmã havia contado, sobre o dia anterior, e sobre todas as brigas com Joe. - Você é fogo, sério. - Ele riu. - Eu não aguentaria namorar você. 
A garota riu baixo. 
- Que bom, mamãe ficará feliz com a impossibilidade de incesto na família. - Ela gargalhou. - Yey! 
- Cala a boca! - Ele deu um soco em seu ombro, rindo. - Você entendeu o que eu quis dizer. 
- Entendi, meu bem - ela sorriu. - Mas eu sou muito fofa, ok? Não sei por que esse medinho de mim... Sou muito fácil de lidar, pergunta pro Joe e... 
Demi ouviu a tão característica gargalhada de Jonas, e olhou por cima do ombro. Ele estava parado na porta da cozinha. 
- Você é realmente super fácil de lidar, docinho - ele se aproximou, a abraçando pela cintura. - Talvez para domadores de leões do circo, para espiões da CIA, ou algo do tipo... 
A garota estapeou o braço nu de Jonas. 
- Outch! - Ele riu. - Pare de ser fofa! 
Liam gargalhou ruidosamente e Demetria deu outro tapa no braço de Joe. 
- Quer parar? - ele disse, ainda rindo. 
- Me faça parar, docinho. 
Joe deu um sorriso malicioso e apertou mais suas mãos nas costas da garota, fazendo com que ela ficasse nas pontas dos pés. Agarrou seus cabelos e colou seus corpos rapidamente, procurando por sua boca. 
- Ah, pelo amor de Deus! - Liam reclamou. - Filme pornô grátis com minha própria irmã É TRAUMATIZANTE! - ele disse alto e Demetria riu, ainda que estivesse com um pouco de raiva daquela interrupção. 
- Dá um tempo, vai, Lovato - Joe resmungou, fazendo o amigo rir. 
- Olha o respeito, rapaz! - Liam disse, pegando uma maçã e caminhando até a porta da cozinha. - Ah, e só pra constar - ele disse, e Demi rolou os olhos instintivamente. 
- O que é, Liam? 
- É muito desconfortável ver você acordando com a camisa do Jonas. Vou contar pra mamãe. - Ele gargalhou. 
- Você tá precisando de sexo, Liam. - Jonas gargalhou vitorioso da cara que o amigo fez. 
Lovato nada respondeu, apenas bufou e mandou o dedo do meio, fazendo o casal rir. 
- Então, onde paramos mesmo? - Joe puxou a garota, distribuindo alguns beijos em seu pescoço. 
- Onde você dizia que eu era muito fácil de lidar - Demi disse com a voz arrastada. - Talvez você tenha um pouco mais de trabalho agora, Joseph Jonas. - Ela riu maliciosa, mordendo o lóbulo da orelha do garoto. Sabia as reações que esse pequeno gesto poderiam ter. Joe a prensou contra a parede imediatamente, apertando com força a sua cintura. 
- Eu gosto de ter trabalho - ele sorriu, malicioso. 
- Isso vai ser divertido! - A garota acompanhou o sorriso, fazendo um caminho de beijos desde o pescoço até sua boca. Quando chegou lá, deu uma leve mordida o empurrou pra trás, indo até a porta da cozinha. - Comece a trabalhar, docinho. - Ela riu. - Algo me diz que hoje você vai fazer hora extra. 
A garota sorriu vitoriosa e saiu, deixando um Joe ofegante e sorridente na cozinha. E com alguns pensamentos bastante pervertidos.

- Eu não acredito que ele falou isso! NÃO ACREDITO! - Mi berrou, fazendo Daliella rir. 
- Miley, se controla, por Deus! - a garota exclamou. - Mas e aí, Sel, pronta para sentir todo o poder de Nickolas Jonas? 
As garotas riram da cara que a amiga fez. 
- Vocês são muito babacas. Aquilo foi uma brincadeira. - Selena respondeu, olhando para o teto. Queria passar toda indiferença possível. 
- Cala a boca, eu tava lá e vi que ele não tava brincando! - Demetria disse, e as garotas olharam para a porta do quarto de Daliella de imediato. 
- O bom é que as pessoas nem são gansas nessa casa! - Dani disse e Demi mostrou a língua, rindo. 
- Só vim aqui dizer a verdade, eu tava lá, o Nickolas vai querer te seduzir sim, Sel, e com muito vigor! 
- Para, Demi! - A garota escondeu o rosto com as mãos. 
- Ah, Selena, para de ser caipira, fala sério! - Daliella riu. - Fala pra gente... O que você vai fazer? Se ele realmente... quiser... algo? 
Demetria riu da explicação de Daliella, mas esperou, interessada, a resposta de Sel. 
- Não faço ideia - Sel disse. - Estou muito confusa. Não sei como vou reagir. 
- Ah, amiga, se joga! - Miley disse e todas a encararam, um pouco estupefatas. - Qual é, gente? Não é como se já não fôssemos da gangue dos losers, mesmo! A Demetria já está com o Joe, a Daliella com o Kevin, uma a mais, uma a menos... 
Selena riu. 
- Você vai ficar com o Liam, por acaso? - perguntou. - Não vai querer ficar de fora, não é mesmo, Mizinha? 
- Ah, fica quietinha aí e se resolva com seu loser! - Miley disparou, fazendo as amigas rirem. 
- Hey! - Joe apareceu na porta, sorridente. - Precisamos terminar uma coisa, docinho - ele disse com a voz sexy, e a garota riu. 
- Esqueceu que eu sou difícil? - Demi respondeu, sorridente, enquanto ouvia as risadas abafadas das amigas. 
Joe apoiou o braço na porta, rindo. 
- Claro que não esqueci. - Ele deu uma piscadela. - É por isso que eu vim te buscar. 
- E quem disse que eu quero ir com você? - a garota respondeu, mesmo se derretendo, só para bancar o próprio joguinho. 
Viu Jonas lançar seu sorriso preferido. Aquilo era muita maldade, pensou, mas ficou quieta. Joe se aproximou, rindo, e colocou os braços ao redor da garota, prendendo-a na poltrona. Abaixou até deixar sua boca a milímetros da de Demi, e sussurrou: 
- Eu não perguntei se você queria. - Ele riu, malicioso. - Hoje quem manda sou eu. 
Joe pegou a garota no colo, enquanto ela murmurava algo como “Me ponha no chão!”, mas ignorou essa parte. Ouviu as risadas das amigas e riu junto, percebendo que Demi também ria. Por mais que reclamasse, não estava fazendo esforço algum para sair dali. Joguinho, como sempre. Abriu a porta do quarto e a jogou na cama. 
- Quer dizer que hoje você é o chefe? - Demetria riu, percebendo que soou quase pervertida. 
- Eu sempre sou - Joe sorriu, e deu um beijo leve na garota, percebendo que ela iria se manifestar. - Só deixo você pensar que não. 
Demetria riu, mas calou-se ao sentir o arrepio que percorreu seu corpo quando Joe começou a beijar seu pescoço com vontade. 
- Você não manda em nada - sussurrou, fazendo o garoto rir abafado. 
Ele intensificou os beijos, apertando as coxas da garota até chegar em seus lábios. Ela nunca saberia explicar aquelas sensações. Viu Joe se distanciar, ficando ajoelhado na cama, ainda a prendendo entre suas pernas. Ele não precisou dizer nada: Demi conhecia bem aquelas provocações. Apenas riu, derrotada, o puxando pelo pescoço com força. 
- Você sabe que é o chefe, docinho - sussurrou, fazendo o garoto rir e voltar ao que estava fazendo. Do jeito que só ele sabia fazer.

Sel estava no jardim fingindo ler uma revista. Estava simplesmente agoniada, as letras da Vogue pareciam dançar em sua frente. Verdade era que não conseguia parar de pensar no que Nickolas tinha dito. E mais verdade ainda que ele tinha sumido depois disso, e ela queria saber o que estava aprontando - se é que estava aprontando alguma coisa. Depois que tinha subido as escadas da mansão e deixado todos com cara de interrogação, Jonas sumira do andar de cima da casa. Provavelmente passou despercebido enquanto ela fofocava com as meninas, mas ninguém que estava na sala sequer tinha ideia de onde o garoto poderia estar. Nem Liam. Nem Kevin. E bom, ela preferiu não entrar no quarto de Joe para perguntar, preferia não saber o que estava rolando lá dentro. Depois da quinta vez que encarou o portão, ainda fechado, bufou, jogando a revista na cadeira ao lado. 
- Procurando alguém? - Ouviu a voz de Nickolas e quase deu um pulo. 
- Puta merda, Nickolas! Quer me matar do coração? - ela reclamou. - De onde você surgiu? 
- Não importa de onde eu surgi - ele riu. - E se eu disser que sim, quero te matar do coração, vai soar muito pedreiro? - Ele riu, e Sel teve certeza que era tudo uma brincadeira. Como sempre era. Jonas era o garoto mais brincalhão que conhecia, chegava a irritar. 
- Sim, vai soar como um flagelado sem cultura - respondeu, irritada, e depois percebeu que aquela resposta não tinha nada a ver, o que só a fez sentir mais babaca ainda. 
E ouvir a risada de Nickolas, agora que ela tinha certeza que era uma brincadeira, só aumentou sua raiva. 
- O que você quer? 
- Quero que você diga que eu sou lindo e que você me ama - ele respondeu e a garota caiu na risada. 
- Qual seu problema, Nickolas? 
- Fala! - Ele riu, o que era estranho. A essa altura já estaria emburrado, assim era o Jonas. 
- Não vou falar coisa nenhuma! - ela disse alto, ainda rindo. 
- Duvida que você vai falar? 
- Por que você está tão confiante nisso? 
- Duvida? - Ele arqueou uma sobrancelha, desafiador. 
- Duvido - Sel respondeu de imediato. Nickolas segurou sua mão, a puxando para fora da cadeira. 
- Vem comigo. 
Jonas começou a correr e a puxar Selena junto com ele, na direção do portão principal da casa. 
- O que você está fazendo? Eu não vou a lugar nenhum! - a garota berrou, mas continuou sendo puxada. 
- Você não duvidou? Vou te mostrar! 
- Nickolas, se você quiser me mostrar algo que tem dentro das suas calças atrás do muro, eu juro por Deus que choco sua cabeça contra o concreto! - Sel ouviu a gargalhada gostosa do garoto e acabou rindo junto. 
- Acho que vou correr esse risco. - Ele deu uma piscadela, e continuou caminhando.

Joe virou para o lado e encarou o rosto sereno de Demetria, que dormia com seu corpo coberto apenas por um lençol ao lado do seu. Não pode deixar de sorrir ao pensar o quanto aquela garota mexia com ele. Até o jeito em que ela dormia, a forma como ela respirava era estranhamente encantadora. Demi virou seu corpo, inconscientemente, aproximando ainda mais seu rosto do de Jonas, que não conseguiu conter a vontade de acariciar seu rosto e cabelos por algum tempo. Até que reparasse o que estava fazendo de fato. 
- Ah. Meu. Deus - sussurrou, virando seu corpo de frente e encarando o teto, com os olhos arregalados. - Eu... Eu... - Joe olhou de soslaio para Demetria, que sorria, mesmo dormindo, o que o fez sorrir também. - Eu amo essa garota. 
Joe arregalou os próprios olhos com o que ouviu sua voz dizer. Levantou da cama, tampando o rosto, depois encarou Demetria de novo. Ela não tinha escutado nada, claro. Mas o fato dele ter dito isso em voz alta o assustou. Joseph Jonas não é aquele cara que sabe como agir quando está apaixonado. Na verdade, nunca esteve apaixonado para saber como era, e isso o deixava louco. Mas ela não sabia de nada. Isso era muito, muito bom. Poderia esconder se quisesse. 
- Esconder é legal - murmurou pra si mesmo, depois riu da própria idiotice. 
Percebeu que se ficasse ali por mais tempo, acabaria tentado a ficar olhando Demetria dormir, o que era extremamente ridículo. Resolveu tomar um banho gelado para acordar direito e colocar as idéias no lugar. Caminhou até o banheiro, tentando não fazer barulho - tudo o que ele não precisava era que ela acordasse, não saberia como agir depois de revelar em voz alta que realmente a amava. Não que ela tivesse ouvido alguma coisa. 
Tomou um banho relativamente rápido - a água estava gelada, o que facilitou o processo. Enrolou uma toalha na cintura e encarou seu reflexo no espelho, com os cabelos ainda molhados. Pelo menos agora sabia o que queria fazer. 
Esconder. 
Fingir que nada aconteceu. Ela nunca saberia. 
- Esconder - murmurou baixo e decidido, e virou a maçaneta da porta. 
Demi ainda estava lá. Tentadoramente angelical, os cabelos espalhados pelo travesseiro - o dele -, ainda sorrindo enquanto dormia. Joe respirou fundo e sorriu, apoiando na porta. 
- Namorar. Ela vai ser minha namorada.

- Pronto, chegamos! 
Nickolas parou de andar, soltando a mão de Selena. Tinham praticamente andado na mesma calçada da casa por algum tempo, atravessado pra rua da praia e andado mais um pouco. Sel olhou ao redor sem entender. Aquele lugar não dizia nada para ela. Tudo bem, a praia era bonita, mas isso não significava muita coisa. 
- O que você queria me mostrar, Nickolas? - a garota indagou, confusa, e Jonas riu de leve. 
- Feche os olhos. 
Selena o encarou de sobrancelha erguida. Não precisou dizer nada. 
- Relaxa. Eu não vou tirar minhas roupas enquanto você estiver de olhos fechados. - Ele gargalhou. - Você vai querer fazer isso por si mesma. 
Dessa vez Sel riu, irônica. 
- Você está estranhamente seguro disso, não é? 
- Eu sei o que estou fazendo. 
A garota franziu a testa, fechou os olhos mas os abriu em meio segundo. 
- Não, eu não vou te agarrar enquanto você estiver de olhos fechados - Nickolas disse, fazendo Sel rir de nervoso. Agora ele lia pensamentos? 
- Olha lá, hein? - ela disse, mas estava convencida de que o garoto iria se comportar, não sabia bem por quê. 
Selena fechou os olhos, sentindo uma sensação estranha tomando conta. O que quer que fosse que Nickolas tinha aprontado, era suficiente para ele achar que a conquistaria. E ela gostava daquela ideia. 
- Pode abrir. 
Sel abriu os olhos, desconfiada e tentando conter uma certa animação que surgia nela. Olhou para frente. Nickolas estava lá, parado, no mesmo lugar que estava antes. Ele tinha as mãos nos bolsos, como tinha antes. Não havia sequer mudado de posição. Estranhou, então virou a cabeça para os lados. Nada havia mudado. Atrás dela, tinha apenas uma parede, que bom, obviamente ainda estava lá, intacta. 
- Perdi a piada? - Ela disse e Nickolas sorriu. 
- Eu disse que você falaria que eu sou lindo e que me amava quando visse algo, não era? - Nickolas perguntou e Sel afirmou com a cabeça. - Então. Feche os olhos. E depois abra de novo. 
Selena começara a achar que a mentalidade de Nickolas, que já não era das melhores, teria sido afetada por alguma espécie de droga. Mas preferiu não contestar, repetindo o gesto. 
- Você é lerda pra caralho - ele disse, rindo, e a garota abriu a boca, indignada.
- Eu não sou lerda! O que você quer mostrar, Jonas? - disse, um pouco nervosa. Ele riu. 
- O cara mais gato, mais sexy e mais perfeito que você viu desde a última vez que abriu os olhos. - Ele sorriu. 
Sel tentou dizer algo, mas não conseguiu emitir som algum. Sua mente estava dividida entre dar uma gargalhada ou achar aquilo extremamente fofo. E de fato, ela era um pouco lenta pra decidir. 
- Você é maluco! - ela disse, rindo. - Maluco e metido! 
- Lindo e adorável? - Jonas disse com a voz em um tom que ele achava que fosse sexy. 
- MA-LU-CO e ME-TI-DO! - Sel soletrou, rindo. 
- Eu sei que você me ama... - Ele deu de ombros, e aquela atitude do garoto começou a parecer engraçada para ela. 
- Amo muito - ela disse, irônica, e ele riu. 
- Qual é, você sabe que eu sou o cara mais lindo que você já viu... - Nickolas riu junto com a garota. 
- Com toda certeza - ela concordou, ainda debochada. Depois olhou para um Nickolas um tanto quanto satisfeito. Ele tinha um sorriso vitorioso nos lábios. 
Ela tinha dito exatamente o que ele queria. Maldito. 
- Eu disse que você iria me dizer isso - ele gargalhou. Quando percebeu que Sel ia se manifestar, tocou seus lábios com os dedo, para que se calasse. - Eu sei que eu não sou cara mais lindo que você já viu, você namorava um modelo! - Ele chacoalhou a cabeça, com o rosto muito próximo. - E é claro que você não me ama. Mas acho que tem alguma chance dessa minha brincadeira babaca ter te provado duas coisas. 
Ele ficou em silêncio, e a garota mal conseguia respirar direito. Aquele proximidade, somada ao perfume maravilhoso que Jonas estava usando, acabara deixando-a atordoada. 
- Que... Coisas? - ela disse, quase em um sussurro. 
Nickolas levantou o dedo, tocando seu lábio de novo. 
- Primeiro. - Ele sorriu de lado. - Eu estou bem longe de ser gay. 
A garota quase riu, mas não estava em condições de se mover, poderia ser muito perigoso. 
- E segundo - ele mostrou o número com os dedos. - Eu posso ser idiota, mas eu sei que você gostou disso tudo. E eu sei que você quer a mesma coisa que eu. 
Sel suspirou pesadamente. 
- E o que você quer? 
Nickolas não respondeu com palavras, mas ela já imaginava isso. Encostou seus lábios de leve nos da garota, sem pressa alguma, esperando que ela permitisse o que ela estava prestes a fazer. Selena não recuou, não tinha condições físicas para negar nada naquele momento. O beijo suave de Nickolas era até tímido no começo, mas depois os dois se entregaram. A única coisa que Jonas conseguia pensar era por que diabos não tinha tido aquela ideia antes. Era tudo o que ele queria, e não fazia ideia.

- Um encontro? - Demi arqueou a sobrancelha, olhando para Joe pelo reflexo do espelho do banheiro. Ele sorriu, aproximando-se, e a abraçou pelas costas. 
- É, tipo um encontro. Só nós dois, hoje. - Ele deu um beijo em seu ombro. - O que me diz? 
Demetria virou de frente, passando os braços pelo pescoço de Jonas. 
- Eu digo que é óbvio que eu quero. - Ela sorriu, dando um selinho no garoto. - Pra onde vamos? 
- Isso é surpresa... - Ele sorriu, dando outro selinho. - Mas esteja pronta às sete, não podemos nos atrasar. E esteja linda. 
A garota riu, vendo Joe sair do banheiro. 
- Eu sempre estou linda. 
Joe chacoalhou a cabeça. 
- Metida. 
- Realista - ela respondeu. 
Joe já estava perto demais de novo. Apenas riu, e tomando-a pelos braços, a beijou. Era inevitável aqueles arrepios que Demetria sentia toda vez que sua língua tocava a dele. Passou as mãos por seus cabelos, arranhando de leve a sua nuca, e Joe puxou seu lábio com os dentes, sorrindo. 
- Às sete - repetiu - E linda como sempre. 
Demi sorriu. 
- Nós total perdemos a piada do “cala a boca” - disse, e os dois gargalharam. 
- Eu gosto de finalizar a piada assim... - Ele riu, mexendo nos cabelos da garota. 
- Eu também. - Demi respondeu, com a voz quase derretida. - Mas agora se manda daqui, que eu preciso começar a me arrumar, tenho só duas horas pra ficar “linda como sempre” - ela fez aspas com os dedos, fazendo Jonas rir. 
- Se você fosse com essa toalha, já estaria mais do que linda - disse, galanteador. 
- Mas você não gostaria das cantadas que eu iria receber por ser tão gostosa e estar de toalha na rua. - Ela disse, sorrindo vitoriosa, e Joe riu. 
- Bela jogada. Te vejo daqui a pouco - ele sorriu, e Demi ouviu a porta do quarto batendo, algum tempo depois.

Demetria estava orgulhosa de si mesma. Estava sentada em sua cama, totalmente arrumada, e ainda faltavam três minutos pra sete. Nunca fora assim tão eficiente. Pensou em ir até o quarto de Joe ver se ele estava pronto, mas queria ver o rosto dele quando a visse com aquele vestido azul claro que estava. Costumava apostar no pretinho básico, mas resolvera inovar. Colocou um par de sapatos brancos e pegou uma bolsa da mesma cor, arrumou os cabelos em um meio rabo e estava sentindo-se deslumbrante. Ouviu alguém bater em sua porta e levantou-se, rapidamente, quase fazendo uma pose, o que a fez rir. 
- Wow - Daliella disse, olhando para amiga - Querida, se o Jonas não te pegar de jeito essa noite, eu pego! 
- Vou deixar isso bem claro pra ele. - Demi deu uma piscadela, rindo. - Falando nisso, são sete em ponto, acho que vou até o quarto dele. 
- Não, Demi, o Liam estava te chamando lá na cozinha. Quer que eu avise ao Jonas que você está lá embaixo? 
- Tudo bem então. - Demetria rolou os olhos. 
Desceu as escadas até que rapidamente para um salto daquele tamanho. Ao chegar na cozinha, olho em volta e não viu nem sinal do irmão. Bufou, irritada. O que diabos Daliella estava fazendo? Quando ia sair de lá, o interfone tocou. 
- Sim? - Atendeu rapidamente. 
- Vocês tem visita aqui no portão. - Ouviu a voz do caseiro do outro lado. 
- Tudo bem, vou pedir pra alguém ir aí - ela disse, sem paciência. 
Ao chegar na sala, nenhum de seus amigos estava lá. 
- Merda - murmurou. - Kevin? Mi? 
Ninguém respondeu. 
Xingou todos mentalmente e foi até o caminho de pedrinhas que dava até a saída. Não gostava de se aventurar em lugares assim quando estava de salto. Abriu o portão, nervosa, e toda sua raiva foi pelo ralo. 
Joe estava do outro lado, encostado em um carro que ela nunca vira na vida, com uma camisa branca dobrada até os cotovelos, um jeans escuro e sapato social. Estava perfeito. Sorriu ao ver o sorriso imenso que ele abriu ao encará-la da cabeça aos pés. 
- Eu pedi pra você ficar linda, não pra humilhar todas as mulheres da cidade - Joe disse, ainda sorrindo, e chegando mais perto. Acariciou o rosto de Demi e deu um selinho nela. - Vamos? 
- Claro. Quero ver o que você aprontou. - Ela sorriu, caminhando até o carro. - Alugou? - perguntou, e ele afirmou com a cabeça - Ai, meu Deus, deixe que eu chegue viva até onde você está me levando! Você é um péssimo motorista! - disse, rindo da cara que Joe fez, enquanto abria a porta para que ela entrasse. 
- Ei, aquele dia foi um acidente, e eu estava bêbado! - disse, com um biquinho irresistível. Demi teve que conter a vontade que teve de mordê-lo. 
- Awn, tô brincando, meu bem! - Ela riu, dando um beijo rápido em Jonas, que sorriu animado e deu a volta no carro. 
- Antes de irmos... - Ele esticou o braço para trás e apanhou um buquê de rosas vermelhas no banco traseiro. - Pra você. 
Demetria abriu um sorriso imenso, aquele garoto sabia mesmo agradar. 
- Quero fazer disso um encontro mesmo. - Ele sorriu. 
- Awn, que lindo! - Ela cheirou as flores em suas mãos. - Obrigada, isso foi muito fofo! 
Joe ligou o rádio e deu partida no carro. Estavam conversando sobre trivialidades, mas ele estava nervoso com o que tinha que fazer naquela noite. Queria que o pedido de namoro fosse tão perfeito que ela não tivesse como recusar de forma alguma. E ele não podia se atrapalhar e acabar fazendo algo dar errado. Estava pensativo, quando seus devaneios foram interrompidos por um espirro de Demi. 
- Saúde. - Ele sorriu, e ela agradeceu. 
- Então, o Nickolas e a Sel sumiram! - Joe disse, tentando conversar sobre alguma coisa. - Algo me diz que eles... 
- Atchim! - Demetria espirrou de novo, depois riu. - Desculpa, desculpa! - disse. - Eu também acho que eles podem ter... ATCHIM! 
Joe arqueou a sobrancelha, estranhando aquele ataque repentino de espirros da provável futura namorada. 
- Você está bem? - perguntou e ela sorriu. 
- Estou sim, só preciso achar um lenço e... - A garota fez uma careta - ATCHIM! 
Joe encostou o carro no acostamento. Demetria estava espirrando e rindo ao mesmo tempo, o que o deixou preocupado e com vontade de chamá-la de tonta ou algo do tipo. Era por isso que gostava dela. 
- Demi, você tá gripada? - perguntou, desconfiado. 
- Claro que não, docinho - ela disse, com o nariz vermelho. - Eu tô bem. 
E outro espirro. 
- Demetria - ele disse com a voz firme, o que fez Demi lembrar do próprio pai. 
- Ah, Joe, desculpa! - Ela escondeu o rosto com as mãos. 
- Ei, o que foi? - Joseph soltou o cinto e tirou as mãos do rosto da menina. 
- Eu... Sou alérgica a rosas. 
Demetria viu Joe abrir a boca, sem conseguir dizer nada por alguns segundos. Tinha tentado ao máximo esconder esse fato, afinal, a atitude dele tinha sido uma graça. Mas aqueles espirros malditos estavam a entregando, definitivamente. 
- Ai, meu Deus! Eu sou um idiota, desculpe! - Joe disse rapidamente, pegando o buquê que estava no colo dela. - Eu não sabia, é sério, Demi, eu... 
Demetria riu, chacoalhando a cabeça. 
- Você não era obrigado a saber, está tudo bem. - Ela sorriu, ainda coçando o nariz. 
- Claro que era, eu podia te matar! - Joe disse gesticulando muito, fazendo Demi rir ainda mais. 
- Você quer parar de drama? - disse, segurando o rosto de Jonas entre as mãos e dando um selinho nele. - Eu devia ter te dito, não esperado minha crise de... 
- Vou jogar isso fora, perai. - Joe disse, e Demi o segurou pela mão. 
- Não, deixa pelo menos uma comigo. Pra eu guardar de lembrança. 
Joe sorriu, e negou. 
- É melhor tirar tudo que possa te matar de dentro desse carro - respondeu, rindo baixo. Pelo menos ela tinha encarado numa boa, e contanto que ele tirasse o buquê dali, ficaria bem. 
- Tudo? - Demi disse, rindo. - Então você vai a pé ou vai me deixar dirigir? 
A garota gargalhou da careta que Joe fez e o viu jogar o buquê em uma lata de lixo. Sentiu dó, mas era melhor assim. 
- Lírios da próxima vez? - Joe entrou no carro, com cara de cachorrinho sem dono. Demetria poderia agarrá-lo ali mesmo, mas apenas sorriu, concordando.

Jonas estacionou o carro em frente a um restaurante italiano lindíssimo que tinha uma varanda imensa com vista para o mar. Viu os olhos de Demi brilharem. Ponto, pelo menos as coisas estavam começando a dar certo um pouco depois do planejado. 
- Joe, esse lugar é... lindo! - Demetria disse, animada, e ele a abraçou, depois segurou sua mão para guiá-la até a porta. 
- E italiano. Eu sei que você não é muito fã da culinária francesa. - Joe sorriu com todos os dentes. - E agora sei que você também não é fã de rosas. - Ele riu. 
- Deixa de ser bobo e esquece isso! - Demi sorriu e ele concordou, indo até o restaurante.

- Olha, tem um barco passando ali no fundo - Demetria estava realmente deslumbrada com o lugar. A mesa que Joe tinha arrumado para eles era na varanda, como ela teria preferido. 
- Quer olhar a carta de vinhos, senhor? - o somélier perguntou, e Joe sorriu educadamente. 
- Deixo que você escolha o melhor para nós. Não entendo muito dessas coisas.- disse, sincero, e Demi sorriu. 
- Esse é o melhor encontro de todos que eu já tive. - A garota sorriu, tímida, e Joe teve certeza que ela não poderia ficar mais linda. 
- Mas nós mal começamos... - ele sorriu, segurando sua mão. 
- Mas eu tenho certeza que é o melhor. 
Joe passou as mãos pelos cabelos de Demetria ao escutar isso, estava sentindo o coração bater tanto que parecia que tinha uma escola de samba dentro dele, deu alguns selinhos longos nela, que logo deu passagem para que aprofundasse o beijo. Talvez aquele fosse o momento certo, não precisaria esperar até o fim da noite. 
- Você está linda, sabia? - disse, instintivamente, e ela abriu os olhos, sorrindo. 
- Obrigada. Você também está - disse simplesmente. Joe estava brincando com seus dedos, parecia um pouco nervoso. - Aconteceu alguma coisa? 
- Não, claro que não. - Ele sorriu. - Eu só queria... 
- Com licença. - O someliér voltou, e Jonas rolou os olhos discretamente. - O vinho de vocês. 
- Obrigado, pode servir - ele respondeu rapidamente. 
O rapaz estava enchendo a taça que estava em frente a Demetria, quando outro garçon passou atrás dele e Joe não conseguiu ver o que aconteceu, mas os dois se chocaram, fazendo com que a taça caísse no vestido azul claro de Demetria. 
- Ai. Meu. Deus. - A garota disse, com os olhos arregalados. A mancha era pequena, o someliér tinha sido rápido. Mas não o suficiente. 
- Minha nossa, me perdoe, senhora, eu nem sei o que dizer, eu... - O outro garçon surgiu, e os dois começaram a se desculpar juntos. Jonas não sabia o que falar. 
Aquilo definitivamente não poderia ficar pior. 
- Não, está tudo bem - Demi disse. O gerente estava se aproximando da mesa deles. 
- Joe, eu vou até o banheiro ver se consigo dar um jeito nisso aqui - ela disse muito calma, mas o jeito de sua voz deixava transparecer que estava brava. Jonas a segurou pela mão. 
- Eu nem sei o que dizer, isso foi horrível, desculpe - ele disse, mesmo sabendo que não era sua culpa - Vamos sair daqui, podemos ir pra outro lugar e... 
- Não precisa não. Eu vou dar uma olhada nisso aqui, estou com fome e quero comer logo. - Ela sorriu, percebendo o quanto Joseph estava desconfortável, e aproximou-se dele. - Ei, relaxe. Não foi sua culpa, amor. Já volto. 
Demetria praticamente correu para o banheiro. Ela tinha o chamado de “amor” no meio de um restaurante. E ainda por cima não tinha ficado com vergonha disso. Riu sozinha, e aquela história do vestido pareceu muito menor - ainda se seu Prada ficasse manchado, processaria aquele lugar.

Joe ainda estava sorrindo idiotamente pela pequena demonstração de afeto pública que tinha acontecido. Ouviu as desculpas do gerente, que acabou dando o jantar pra eles. No fim das contas, a refeição tinha sido muito agradável, os dois tinham rido muito. Tirando que ele se sentia culpado cada vez que olhava para a mancha no vestido. E ele olhava muito, era nos peitos dela. Preferiu não dizer nada sobre o namoro, não depois de uma cena daquelas. Ainda tinham um musical pra ver, e aquilo deixaria Demi muito feliz. Ela sempre quisera assistir Moulin Rouge na França. Tudo bem, era em Paris, mas a Riviera serviria. 
- Nós vamos ao teatro? - Demi sorriu ao descer do carro. 
Joseph mostrou para ela os convites para a peça. 
- Ah, meu Deus! - Ela bateu palmas, empolgada. - Você é o melhor, não acredito nisso! - A garota pulou em cima dele. Estava de vestido e eles estavam no meio da rua, mas não estava se importando. Já tinha perdido a dignidade pelo vestido manchado. 
- Você merece. - Ele sorriu. - Ainda mais depois da história do vestido. E das flores. - Ele fez uma careta de dor. 
- Vamos logo, estamos em cima da hora! - Demi o puxou pela mão, e os dois atravessaram a rua. Ficaram trocando beijos na pequena fila que tinha em frente ao teatro. 
- Seus convites, por favor - o segurança pediu e Joe entregou, quase sem conseguir parar de beijar Demetria - Boa peça! 
Demi deu outro pulinho empolgado e virou de frente, para entrar. 
- Ei, espere um instante, senhorita. - O mesmo segurança a barrou. 
- O que houve? - Demetria perguntou. 
- Me desculpe, mas a senhorita não pode entrar com o vestido assim...- Ele apontou para a mancha, e Jonas sentiu o sangue subir à cabeça. 
- Quem disse isso? Que regra ridícula é essa? - respondeu, ríspido, e Demetria arregalou os olhos. 
- Joe, calma... - Ela sussurrou. 
- Desculpe, são normas da casa. 
- Nós vamos ver essa peça, você não está me entendendo! - Jonas ainda falava muito alto, e Demi estava com medo do segurança gigantesco estressar e dar um murro nele. 
- Me diz uma coisa - Demetria interrompeu. - Se eu colocar um casaco, está tudo bem, certo? - Ela perguntou. 
- Positivo, senhorita. - O segurança respondeu. 
Demetria puxou Joe para fora da fila, correndo até o carro. 
- Seu blazer que está no banco de trás! - ela disse, e Joe suspirou aliviado. 
- Você é um gênio. 
- Eu sei! - Ela riu. 
Os dois correram, e Joe pegou rapidamente o casaco. Já estava na hora da peça, os dois últimos casais da fila estavam entrando. 
- Veste correndo! - Ele quase gritou. 
“Ótimo, Joe. Não podia ser mais romântico. Você está mandando que ela corra de salto no meio da rua pra não perderem a peça. Você é um merda!” 
Joe estava quase batendo a cara nas colunas do teatro de tanta raiva. Por que diabos TUDO dava errado com ele? Tudo que ele havia planejado estava se tornando uma grande piada. 
“Nem eu mesmo namoraria comigo depois dessa”, pensou, e chegou até o segurança. 
- Pronto, resolvido - ele disse em um tom ameno, porque reparou que era outro cara. 
- Me desculpe, senhor. A peça começou há cinco minutos. Sinto muito, mas não posso deixar vocês entrarem. 
- Por favor, nós estávamos aqui na hora, é que o outro segurança... - Demi argumentava. 
- Me desculpe, senhorita. Não há nada que eu possa fazer. 
A expressão de Demetria era de decepção. Não, agora sim Joe estava se sentindo um lixo. Não teve coragem de falar nada sobre o teatro. Não tinha mais clima nenhum para falar nada sobre namoro. Estaria com sorte se Demetria ainda quisesse olhar na sua cara no dia seguinte. 
- Vamos pra casa - disse, com a voz baixa, e caminhou até o carro.

O silêncio era cortante dentro do carro, chegava a incomodar. Joe estava com os olhos focados na estrada, as mãos firmes no volante, tão firmes que Demetria achava que quando ele soltasse, cairia um pedaço. Estava se sentindo mal por tudo que acontecera. Sabia que Joe tinha tentado fazer um encontro perfeito, e sabia como ele devia estar se sentindo. 
- Joe, fala alguma coisa. - Sua voz era quase suplicante. Estava com medo que ele gritasse com ela ou algo do tipo. 
- O que você quer que eu diga? - ele respondeu de imediato, nervoso - Desculpa, Demi. Esse foi o pior encontro da História. 
Demetria ia abrir a boca para retrucar, mas Jonas ligou o rádio, e ela percebeu que isso era para que calasse a boca. Encostou a cabeça na janela, sentindo os olhos arderem. Podia parecer coisa de outro mundo, mas para ela, aquele ainda tinha sido o encontro perfeito. O carro começou a fazer algumas movimentações estranhas, e Demetria se segurou na cadeira, rezando para que não quebrasse. Joe se mataria. 
Mas aparentemente papai do céu não estava escutando muito bem. O barulho do pneu furado foi muito característico, e ela só fechou os olhos, esperando que Joe xingasse muito alto. 
Não foi o que aconteceu. 
Demetria ouviu a porta do carro batendo com força extrema, e viu que Joe tinha saído. Imediatamente fez o mesmo, mas ele não estava indo consertar o pneu, estava andando em direção a praia. 
- Joe! - ela gritou - Joe, me espera! 
O garoto parou de andar, ainda estava de costas, e ela se aproximou, jogando os sapatos na areia. Ele virou de frente, olhando em seus olhos. Demi podia ver a ira neles. 
- EU SOU UM IDIOTA! - ele berrou, e chutou a areia, que voou para longe. - Esse é o pior encontro de todos os tempos! O PIOR DE TODOS! 
Demi respirou fundo, segurando-o pelos ombros. 
- Joe, esse não é o pior encontro de todos os tempos, fica calmo - disse baixo, e ele riu, irônico. 
- Pelo amor de Deus, Demetria! Para de mentir! - ele disse alto. - Você não precisa ficar fingindo que foi maravilhoso pra me agradar, eu estava lá e vi a MERDA que foi! - Joe a encarou nos olhos. - Eu quase te matei de alergia, derrubaram vinho tinto no seu vestido claro, a PORRA do teatro não aceitou que a gente entrasse por causa da mancha, depois perdemos a hora pra peça que eu sabia que você queria ver... - Ele riu, chacoalhando a cabeça. - E pra completar, A PORRA DO PNEU FURA? Nem que você tivesse saído com Murphy seria pior que isso! 
Demetria começou a rir. Nem ela sabia porque estava agindo daquela forma. 
- TÁ RINDO DO QUÊ? - Joe gritou. 
- Joe, PARA DE GRITAR! - ela mesma gritou. - Você não teve culpa de nada do que aconteceu, pare de se culpar! - Demi continuou num tom mais alto, vendo que ele iria se manifestar. - Eu sei que TUDO o que você fez foi pra me agradar, e eu achei isso lindo! 
- Lindo? - Ele chacoalhou a cabeça. - Você deve ser muito louca mesmo. 
Joe bufou, andando em direção à água. Quando percebeu que Demetria estava em seu encalço, virou abruptamente. 
- Você não entende - ele disse baixo. - Isso não podia ter sido assim. Teria que ter sido... perfeito. 
Demi respirou fundo, aproximando seu rosto do de Joe. Seus olhos estavam ainda mais bonitos refletindo a pouca luz da lua. 
- E qual é o problema, amor? - Ela percebeu um sorriso sutil no canto do lábio de Jonas quando usou a palavra. - Não é como se esse fosse nosso primeiro encontro. Nós teremos outros que darão tudo certo, você vai ver e... 
- Não, Demi! - ele disse, com um pouco de raiva - Eu armei isso tudo porque eu queria pedir... Pedir pra você namorar comigo! 
Demi deu um passo pra trás, instintivamente. Não sabia o que dizer. As palavras simplesmente tinham sumido. 
- Mas agora já era! Foi o pior encontro das nossas vidas e não tem mais clima nenhum pra nada! - ele disse, entristecido. - Me desculpa. Eu não queria dizer isso assim. 
Demetria respirou fundo, seu coração dando sinais de vida parecia pular em seu peito. Ela sorriu e o encarou. 
- Joe, você já olhou ao seu redor? - perguntou, e ele a encarou, sem entender. - Nós estamos em uma praia lindíssima e deserta. A única luz é a da lua cheia. Estamos... Aqui. Só nós dois. Isso não é perfeito? 
Joe olhou para os lados. Era bem verdade que o cenário era deslumbrante, mas ainda assim estava puto. Não conseguia se conformar com aquela noite. 
- Eu sei, Demi, mas... 
- Shiu, eu não terminei. - Ela seu um selinho nele, e depois acariciou seu rosto. - Você está bravo, eu posso ver isso nos seus olhos. Mas pra mim, esse encontro foi sim o melhor de todos. - Ela sorriu, calando-o com o dedo. - Pensando agora no que você fez, teria sido sim, um encontro lindo, se tivesse dado certo... 
- Mas não deu... - Joe interrompeu, mas ficou quieto quando viu que ela iria continuar. 
- Só que se ele tivesse dado certo, Joe, nós não estaríamos aqui. Foi incrível tudo o que você tentou fazer. E eu não vejo cenário melhor pra... Joe, eu adoro você. E eu sei que você não consegue dizer, mas eu... - Ela riu - Você quer namo... 
- Não! - Ele deu um selinho nela, fazendo com que se calasse. 
- O que... Por quê? - Demi parecia decepcionada com a interrupção. Joe sorriu e segurou seu rosto com as mãos. 
- Eu... Eu sou um babaca. 
- Joe, por favor... - A garota rolou os olhos, vendo que o tema estava voltando para o início, bem quando achava que teriam um progresso. 
- Shiu, eu não terminei. - Ele deu um selinho nela, o que a fez rir de leve, pela cópia da frase. - Eu sou um babaca porque eu achei que eu precisava de um encontro perfeito pra fazer isso. Eu achei que tinha que ser no lugar certo, na hora certa... Mas isso é ridículo! - Ele riu. - Eu estou aqui, com a mulher mais linda e manchada da França - disse, fazendo a garota gargalhar. - Numa praia deslumbrante. E tudo o que eu precisava era dizer que eu também te adoro. E se você foi louca o suficiente para achar nosso encontro lindo... Talvez eu tenha uma pequena chance de você aceitar ser minha namorada. 
Demetria teve a sensação que o mundo tinha acabado ao redor dela. Poderia acontecer uma guerra nuclear naquela mesma praia, mas ela não repararia em nada. Só naqueles olhos lindos e naquele sorriso sincero. Ela era a garota mais sortuda do mundo. 
- É claro que eu quero namorar você! 
Demi abriu um enorme sorriso, e pulou em cima de Joe, que a segurou no ar, fazendo com que ficasse em seu colo. Aproximaram seus rostos e por alguns instantes, ficaram apenas rindo, qualquer um que passasse, acharia que estavam bêbados. Joe passou o nariz de leve na pele da garota, que fechou os olhos e entrelaçou os dedos em seus cabelos. Não precisou de autorização alguma. Ela era sua, agora oficialmente. Beijou-a com tanta vontade que achou que fosse perder o fôlego em cinco segundos, mas durou muito mais que isso. Demi abriu os olhos, ainda sem ter certeza que aquilo era realmente real, quando ouviu aquela voz rouca perto de seu ouvido, confirmando absolutamente tudo. 
- Eu sempre disse que você seria minha, docinho.


CONTINUAAAAAAAAA


XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


GALERAAA MAIS UMA VEZ MUITISSIMO OBRIGADA A TODAS VOCES QUE ESTAO LENDO E COMENTANDO VOCES NAO SABEM A FELICIDADE DE VER O DESESPERO DE VOCES TANTO NO TWITTER QUANTO AQUI NO BLOG! GENTE ME PERGUNTARAM LA NO TWITTER SE EU PODIA COLOCAR ANONIMO AQUI NOS COMENTS E TALS EU N SEI MAS VOU TENTAR TAA? PROMETO OK? OBRIGADA GENTE E ESPERO QUE VOCES GOSTEM DESSE CAPITULO PERFECT AI DE CIMA E COMENTEM NOS DOIS PQ SE NAO EU FICO MAIS 5 DIAS SEM POSTAR OUVIRAM??? QUER DIZER LERAMM???? KKKK !!! RUUUMMM!!!! TEM QUE COMENTAR GENTEMMM!!! BEIJO AMO VOCES DE CORAÇAO E EU AMEI OS COMENTS TA GENTE???? OBRIGADA!!! MESMO MESMO!!!



BEIJEMII

LARII LOVATO♥♥♥♥

6 comentários:

  1. AAAAAAAAAAAh caramba, tinha feito um comentário mais fofo, mas eu apertei F5 e ai ele apagou! QUE ÓOOOOOOOOODIO! KKKKKKKKKKKKK mas, de novo, A FIC TÁ MUITO PERFEITA! QUALQUER DIA DESSES VOCÊ AINDA VAI ME MATAR! SÉRIO! KKKKKKK aw, muito lindo, e o Joe todo fofinho? e o encontro #fail? hahaha, tudo perfeito! se você quiser postar uns 4 por dia, eu não vou reclamar não heim :x HAHAHA! beijos Lari, posta logo!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. NOOOOSSA, ESSE FOI O ENCONTRO #FAIL MAIS PERFEITO QUE EXISTE! KKKKKK TÁ MUITO LINDO, E COMO A JÚLIA JÁ DISSE, VC AINDA VAI ME MATAR QUALQUER DIA DESSES! Enfim, eu nem sei o que dizer, ficou perfeito demais, eu to histérica aqui. ELES ESTÃO NAMORANDO! E Nelena hein? TO AMANDO, MAS ACHO QUE ISSO VOCÊ JÁ SABE ;) O Joe tava muito fofo nesse capítulo, tá vendo... ELE DISSE QUE AMA ELA EM VOZ ALTA (mesmo que ela não tenha ouvido). Ainda assim, já é um progresso. Os dois se amam, ah, eu esperava por isso há muito tempo! kkkkk Se quiser postar mais.... acho que ninguém aqui vai se importar! kkk HAHAHAHA, beijooooos Lari <3 POSTA LOGO MULHER! (P.S: Eu exclui o último comentário porque eu digitei uma palavra errada. É, eu sei... mas era uma palavra importante, vc ia pensar que era outra coisa kkkkk)

    ResponderExcluir
  4. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA MEU DEUS Q LI
    NDO> AI ELES SAO TAO FOFOS! POSTA LOGO

    ResponderExcluir
  5. Oowwnt *-* Muito divo essa capítulo Lari... sério, posta logo GURIA.. haha
    Tipo, muito perfeito Jemi juuuntos ♥

    ResponderExcluir
  6. Certo , surtando em ...1..2..3..e.. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA GENTE DO CÉU , QUE P-E-R-F-E-I-T-O . FOI O PEDIDO DE NAMORO MAIS LINDO QUE UE JÁ VI( li NÉ ?!) EM TODA A MINHA VIDA . Cara ,quase chorei , segurei minhas lagrimas o máximo que pude , mas não deu , não tinha como do tanto que foi perfeito . Jemi finalmente namorando ( E Nelena logo logo também ) Mas gente , to esperando isso desde o primeiro beijo deles *-* Eu quase pirei enquanto vc não postava , os piores 5 dias da minha vida . Pelo amor de Deus , faz isso de novo não , e sofrimento demais para nos . Posta o mais rápido possível , ok ???!!! Bjemis .

    ResponderExcluir